Impotência hereditária: Saiba tudo sobre esse problema

A impotência sexual é um mal que assombra muitos homens no mundo inteiro, seja porque já apresentam o problema ou porque têm medo de desenvolvê-lo.

Acontece que, recentemente, a ciência descobriu que a genética pode ter uma certa influência para determinar a ocorrência ou não desse problema.

A boa notícia é que esse problema pode ser tratado naturalmente, e o pau de cavalo funciona muito bem para melhorar esse tipo de impotência, e o bom de tudo é que ele é um suplemento 100% natural e pode ser usado por qualquer pessoa.

Então, vamos entender melhor qual a relação da genética nos problemas de impotência sexual.

Impotência sexual hereditária

A ciência está sempre avançando e fazendo novas descobertas. Atualmente, uma descoberta que surpreendeu muitos foi a identificação de um genoma humano que pode ser o causador da impotência sexual.

Vale lembrar que algumas doenças que prejudicam os vasos sanguíneos, problemas psicológicos, ansiedade, depressão e hormônios também podem influenciar para o desenvolvimento do problema.

A descoberta, que foi publicada no periódico ProceedingsI, fez a análise de mais de um milhão de pontos do SNA humano, considerando uma associação genômica bem ampla, usando marcadores para que fosse possível identificar essas variações.

No estudo, foram analisados dados de mais de 36.500 homens, e os resultados também foram confirmados por uma outra pesquisa feita com mais de 222 mil homens no Reino Unido.

Embora esses resultados ainda sejam muito iniciais, não há dúvidas de que isso pode ser usado futuramente na prevenção à impotência sexual, sendo possível identificar a hereditariedade antes mesmo que o problema e manifeste.

Outros fatores de risco para impotência sexual

Pois bem, a primeira coisa que precisa ser dita é que nem todo mundo que possui o gene vai manifestar o problema. Isso é apenas mais um fator de risco, que aumenta as probabilidades de que ele se desenvolva.

Além disso, existem diversos outros fatores de risco que também podem favorecer o desenvolvimento da impotência sexual até mesmo para quem não tem o gene hereditário.

Nesse caso, deve-se considerar a obesidade, diabetes, tabagismo, problemas cardiovasculares, sedentarismo, uso de alguns tipos de medicamentos e muito mais.

Os fatores são variados, mas normalmente considera-se como fator de risco aqueles que afetam diretamente os nervos, o sistema circulatório ou também algum problema direto no sistema reprodutor masculino.

Em outras palavras, podemos dizer que manter bons hábitos de vida, alimentar-se bem, fazer atividade física, não fumar e controlar o peso são bastante importantes para diminuir as chances de desenvolver o problema.

Quem faz tudo isso e ainda tem o gene no seu DNA, possui chances multiplicadas de apresentar impotência sexual em algum momento da vida.

No entanto, lembre-se que sempre existe uma alternativa, então, procure um médico o quanto antes e trate-se.

Leave a Reply